OPINIÃO 65 | 50 anos depois